“Os nossos colaboradores estão esgotados”- Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Resende apela desesperado

Grande parte dos doentes da Unidade de Cuidados Continuados estão infetados com o Covid-19.
O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Resende, Jaime Alves sente-se abandonado e pediu ajuda urgente “Os nossos colaboradores estão a ficar absolutamente esgotados. Precisamos de colaboração de outras entidades (…). Até ao momento, ainda não houve uma resposta concreta. Isto está a tornar-se absolutamente incomportável para nós. Os meios que temos são insuficientes para dar resposta. Só por nós não somos capazes de dar resposta aos nossos doentes e às suas famílias.”

 

COMUNICADO SCMR – COVID 19

Prezados Resendenses, amigos,A informação que vos transmito é do tipo de comunicação que ninguém quer fazer. Ainda assim, é minha obrigação dar-vos a conhecer a atual realidade da Santa Casa da Misericórdia de Resende, relacionada com o vírus COVID 19, no momento que entendemos ser o oportuno. Em tempo útil, estabelecemos um plano de contingência na Santa Casa com os nossos recursos internos para dar resposta a uma realidade que todos temíamos que poderia acontecer. Confrontados com esta nova realidade, encetamos o plano delineado, contando em primeiro lugar com os nossos trabalhadores que demonstraram sempre um grande espírito de sacrifício e de missão. A sua dedicação e o seu profissionalismo têm sido absolutamente extraordinários na salvaguarda do bem-estar dos nossos utentes. Conhecido o primeiro caso positivo COVID 19, doente da nossa Unidade de Cuidados Continuados, com 94 anos, estabelecemos contactos com as entidades competentes, cabendo em primeira instância à Direção Geral da Saúde (DGS) a liderança e a condução deste processo. Esclarecemos que até ao momento, não nos foi possível identificar a origem do foco de contaminação. Para dar um exemplo das dificuldades encontradas nas orientações dadas pelas entidades responsáveis da saúde (nacional, regional e local), quando se verificou a necessidade de se realizarem testes aos 13 doentes da Unidade de Cuidados Continuados, definiram que se deveriam fazer testes apenas a 7 dos doentes por demostrarem sintomas. Fruto de muita insistência nossa, acabaram por se fazer o teste aos 13 doentes, confirmando-se que 10 estavam contaminados com o vírus, contabilizando neste momento 11 utentes contaminados. Resultados que muito lamentamos. Contrariando as orientações da Direção Geral da Saúde, esta Santa Casa, por nossa iniciativa, em parceria com o laboratório de análises clinicas com quem temos uma parceria, decidiu realizar testes a todos os utentes do Lar do Hospital que fica no mesmo edifício da Unidade de Cuidados Continuados e aos colaboradores. Saberemos no dia de hoje os resultados desses mesmos testes. Cabe-nos informar que o Município de Resende tem colaborado com a Santa Casa nesta iniciativa, encontrando-nos em articulação permanente. Neste momento, os nossos recursos estão a ficar esgotados e não temos a capacidade só por nós, de dar resposta a este desafio gigantesco que nos assola. Sem ajuda de outras entidades, deixaremos de ter capacidade de tratar e de cuidar dos utentes que se encontram no Hospital da Santa Casa. É nossa intenção continuar a trabalhar, empenhadamente. Contudo, sem recursos humanos e sem meios físicos, se durante o dia de hoje não existir colaboração de outras entidades, os doentes com COVID 19 confirmados, ficarão sem qualquer assistência.Lamentavelmente, temos de afirmar que nos sentimos abandonados, sem resposta da Direção Geral da Saúde, entidade com a qual não conseguimos sequer contacto. Tais práticas são geradoras de frustração e desilusão. Com a União das Misericórdias Portuguesas temos estado em permanente contacto, tal como com os organismos da Segurança Social e da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), estando a aguardar da ARS-N um esclarecimento claro no dia de hoje, para darmos resposta aos doentes infetados da Unidade de Cuidados Continuados.A nossa estratégia é: TESTAR, IDENTIFICAR, ISOLAR. No nosso entendimento, só assim, conseguiremos combater esta pandemia e conseguiremos minorar os efeitos desta enorme praga que nos atinge a todos, sem exceção.Não queremos demitir-nos das nossas responsabilidades, mas sozinhos estamos condenados ao insucesso. Enviamos também uma palavra amiga a todas as famílias envolvidas neste processo, expressando a nossa total solidariedade. O momento que vivemos exige o melhor de cada um de nós. A realidade é complexa e geradora de angústias, ainda assim vamos manter a serenidade e a firmeza.Aproveito para agradecer a todas as entidades e a todos os cidadãos que nos estão a ajudar. Expressamos a nossa profunda gratidão.Continuaremos a recorrer aos meios de comunicação social para vos comunicar todos os dados que entendemos relevantes no desenrolar deste processo. Atenciosamente,Resende, 24 de março de 2020.Pela Mesa Administrativa, o Provedor,Jaime Alves

Publicado por Santa Casa da Misericórdia de Resende em Terça-feira, 24 de março de 2020

 

  •  
    12
    Shares
  • 12
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixar uma resposta